WWW.JOTAALCIDES.COM.BR
JORNALISTA, ESCRITOR, EDITOR, ENSAISTA E ROMANCISTA

 BEM VINDO AO MUNDO DO JORNALISMO E DA LITERATURA
 
 
MINHAS CIDADES PREDILETAS

JUAZEIRO DO NORTE, CAPITAL DO CARIRIC
Foto: Vista parcial do centro do Juazeiro
Juazeiro, Juazeiro
Me arresponda por favor
Juazeiro, velho amigo
Onde anda meu amor

Ai, Juazeiro
Ela nunca mais voltou
Diz, Juazeiro
Onde anda o meu amor

Juazeiro, não te alembras
Quando o nosso amor nasceu
Toda tarde à tua sombra
Conversava ela e eu

Ai, Juazeiro
Como dói a minha dor
Diz, Juazeiro
Onde anda o meu amor
Juazeiro, seja franco
Ela tem um novo amor?
Se não tem porque tu choras
Solidário à minha dor?

Ai, Juazeiro
Naõ me deixa assim doer
Ai, Juazeiro
Tô cansado de sofrer

Juazeiro, meu destino
Tá ligado junto ao teu
No teu tronco tem dois nomes
Ela mesmo é que escreveu

Ai, Juazeiro
Eu não aguento mais doer
Ai, Juazeiro
Eu prefiro inté morrer

“Juazeiro, Juazeiro...Ai Juazeiro...” Milhões de brasileiros cantam essa canção do Luiz Gonzaga, Rei do Baião, e Humberto Teixeira, Doutor do Baião, evocando a Metrópole do Sertões do Nordeste. Quando Padre Cícero Romão Batista, jovem sacerdote formado em Fortaleza, chegou ao Juazeiro, em 1872, encontrou apenas um pequeno e pobre arraial de 120 habitantes ocupando umas 30 casas, em sua maioria cobertas de palha e algumas de telhas. Com três frondosos juazeiros, servia de entreposto para descanso de viajantes em trânsito pelo Cariri em direção a Pernambuco e Bahia. Carismático, simples, paciente, caridoso e conselheiro, irradiando simpatia, confiança e entusiasmo, logo passou a ser admirado pelo povo. Em 5 de março de 1889, um fato extraordinário mudou radicalmente a história do pequeno arraial: o “Milagre da Hóstia”, em missa na capela de Nossa Senhora das Dores. Quando Padre Cícero deu a comunhão à jovem beata Maria de Araújo, a hóstia se transformou em sangue na boca dela. Daí em diante Padre Cícero tornou-se figura central de uma Questão Religiosa e passou a ser venerado por milhares de romeiros de todo o Nordeste em visita ao Juazeiro, acelerando seu crescimento espetacularmente. Resultado: com apenas 100 anos de emancipação política e administrativa completados em 2011, Juazeiro do Norte é hoje o que Padre Cícero profetizou: “Centro de civilização e fé do Nordeste, centro de convergência do Nordeste”. Cidade que mais cresce no Ceará, crescendo acima da média nacional, é a Metrópole do Cariri, com 250 mil habitantes, cidade 100 do Brasil, maior centro comercial, industrial, político, cultural, universitário, artístico e desportivo do Nordeste central do País. Juazeiro é o terceiro maior pólo industrial calçadista do Brasil, o terceiro maior pólo joalheiro do País, principal centro do artesanato brasileiro e capital brasileira da literatura de cordel. Sede do Aeroporto Regional do Cariri, um dos que mais crescem em movimento entre os 67 principais no Brasil, Juazeiro é o portão de entrada no Nordeste central. A Região Metropolitana do Juazeiro é formada por nove municípios do Cariri e Juazeiro exerce influência sobre mais de 2.5 milhões de habitantes do sul do Ceará e dos Estados vizinhos da Paraíba, Pernambuco e Piauí. Maior centro do empreendedorismo privado no interior do Ceará, Juazeiro produz 40% de toda a riqueza do Cariri, 65% do triângulo JUABC(JUAZEIRO,, Barbalha e Crato) e tem o 213 maior PIB do Brasil. Conhecido no mundo inteiro pela estátua do Padre Cícero, segunda maior do País, Juazeiro tem algumas das mais belas igrejas do Nordeste – Santuário de Nossa Senhora das Dores, Santuário dos Franciscanos, Santuário do Coração de Jesus e Santuário do Bom Jesus do Horto - está consolidado como maior centro do catolicismo popular da América Latina, recebendo 2,5 milhões de visitantes ao ano. Juazeiro tem a maior e melhor rede hoteleira do Cariri, incluindo um resort com charmosa e atraente praia artificial. É o único centro de romarias do mundo que apresenta progresso urbano, demográfico, social, econômico, cultural, universitário, artistico e desportivo. Graças ao legado do padre Cícero “cada casa uma oficina, cada oficina um oratório”. Sua rua São Pedro, principal via comercial, recebendo mais de100 mil consumidores por dia, parece réplica reduzida da rua 25 de março em São Paulo, a mais movimentada da América Latina. Por isso, chamam Juazeiro “São Paulo em miniatura”. Juazeiro respira progresso, desenvolvimento. É a vibrante Capital do Cariri, onde fui estudante do prestigioso Colégio Salesiano Dom Bosco e onde dei os primeiros passos no jornalismo, na querida Rádio Progresso do Juazeiro e no jornal Tribuna do Juazeiro. Ao Juazeiro dediquei o meu décimo primeiro livro e primeiro romance: "Juazeiro, Cidade Gloriosa". É o Juazeiro mágico, encantador, apaixonante, contagiante, irresistível, inesquecível. Cidade predileta do meu coração.
Foto: Estátua do Padre Cícero, na Colina do Horto
Estátua do Padre Cícero no Juazeiro, segunda maior do Brasil
Foto: Vista do Juazeiro desde a Colina do Horto
Vista do Juazeiro, Capital do Cariri, desde a Colina do Horto

RECIFE, VENEZA AMERICANA

Foto: Centro do Recife cortado pelo rio Capibaribe

Veneza americana
Do mais lindo céu de anil
Minha terra hospitaleira
Namorada do Brasil!
Teus coqueiros junto ao mar
No seu doce farfalhar
A trazer tranqüilidade
Crescem, crescendo a beleza
Desta cidade Veneza
Ninho de felicidade.
E o Capibaribe a rir
No seu curso a seguir
Da cidade a própria vida
A poesia imorredoura
A mensagem sedutora,
Da Veneza tão querida...

Quando cantam essa canção de Nelson Ferreira e Ziul Matos, de 1938, ao som do frevo, o rítmo frenético que embala Pernambuco, os pernambucanos enchem o coração de fervor e de amor ao Recife. Grande barreira rochosa de arenito à beira do Atlântico, o Recife, serpenteado pelos rios Capibaribe e Beberibe, cheio de ilhas, penínsulas, manguezais, interligado por dezenas de belas e antigas pontes, Veneza Brasileira, é a mais antiga e uma da mais bonitas capitais brasileiras. Fundado por Duarte Coelho em 12 de março de 1537. De 1620 a 1626, em conseqüência de constantes ataques à América Portuguesa, o Recife ganhou importantes e munumentais fortificações construídas pelo então governador Matias de Albuquerque.Capital do Brasil holandês, governado de 1637 a 1644 pelo conde Maurício de Nassau, chefe do império holandês nas Américas. Seus arquitetos e engenheiros, chefiados por Pieter Post, dotaram o Recife de pontes, diques e canais para vencer seus desafios geográficos, e alguns imponentes palácios como o de Friburgo, sede do Governo da Nova Holanda, e o do observatório astronômico do Recife, o primeiro das Américas. Em 1634, os governantes holandeses entraram em conflito com a população do Recife e acabaram sendo expulsos em 1654 pela Insurreição Pernambucana. Sempre de espírito libertário e combativo, centro de revoltas e revoluções, algumas das mais famosas e importantes na história do Brasil, é o Recife guerreiro. Da Guerra dos Mascates em 1710, da Revolução de 1817, da Confederação do Equador em 1824, e da Revolução Praieira de 1848. Metrópole nacional, com a quarta maior rede urbana do Brasil,sede da Região Metropolitana do Recife, é o principal centro histórico, econômico e cultural do Norte e Nordeste do País. Terceiro maior pólo gastronômico do Brasil. É o mais importante pólo médico do Norte e Nordeste e tem o maior parque tecnológico do País, instalado no Porto Digital. É a capital brasileira com maior número de arranha-céus depois de São Paulo e Rio de Janeiro. Maior centro turístico do Norte e Nordeste, seu Aeroporto Internacional dos Guararapes é um dos mais modernos do País e considerado um dos cinco melhores do mundo pelas companhias de aviação. Segundo estudo internacional de Mercados Emergentes 2008, o Recife está entre as 65 cidades mais importantes de países emergentes do mundo, sexta colocada na América Latina, perdendo no Brasil apenas para São Paulo e Rio de Janeiro. Lindo Recife da Boa Viagem, Copacabana do Nordeste e de tantas maravilhosas praias. Cidade da primeira Faculdade de Direito do Brasil, cidade de Gilberto Freire, Nestor de Holanda, Nelson Rodrigues, Osman Lins, Paulo Freire, Evaldo Cabral de Melo, Waldemar Valente, Orlando Parahim, José Condé, Paulo Fernando Craveiro, Alves da Mota, e outros escritores famosos. Cidade musical de Nelson Ferreira, Edgard Moraes, Levino Ferreira, Raul e João Valença, Capiba, Waldemar de Oliveira, Aldemar Paiva, João Santiago,Lourival Oliveira, Alceu Valença,Terra do Frevo que não deixa ninguém parado. Circuito dos Poetas: Manuel Bandeira, João Cabral de Mello Neto, Joaquim Cardoso, Solano Trindade, Antônio Maria, Chico Science, Olegário Mariano, Mauro Mota, Carlos Pena Filho, Ascenso Ferreira, Clarice Lispector, Rogaciano Leite,Austro Costa, Carneiro Vilela, Audálio Alves. Assim é o Recife, nunca apenas Recife, berço da nacionalidade brasileira. Por isso, dediquei-lhe em livro prefaciado pelo saudoso e grande jornalista pernambucano, Barbosa Lima Sobrinho, o título de “Berço Brasílico”. Assim é o Recife da minha fase infanto-juvenil, da minha formação acadêmica, da minha formação política e da minha formação profissional no jornalismo. Querido Recife de palpitantes vivências pessoais e experiências profissionais como noticiarista da Rádio Capibaribe, do Rádio Clube de Pernambuco, primeira emissora de rádio da América Latina, Editor-Chefe da Rede Globo Nordeste e Diretor de Redação do vibrante Jornal do Commércio, o maior do Nordeste e um dos mais importantes do Brasil. É o Recife mágico, encantador, apaixonante, contagiante, irresistível, inesquecível.
Cidade predileta do meu coração.

Foto: Beleza do centro do Recife
Beleza do centro do Recife, Veneza Brasileira

Foto: Beleza e charme da praia de Boa Viagem
Praia de Boa Viagem,proclamada Copacabana do Nordeste

BRASÍLIA, CAPITAL DA MODERNIDADE
Foto: Visão noturna do centro de Brasília

Cheguei a te encontrar
No planalto central do meu país
Tu és, uma cidade linda
Trazendo a todos a esperença
Ai que maravilha, alegria...

Viver brasília é sentir felicidade
Viver brasília mas que maravilha
Viver brasília é sentir felicidade
Viver brasília mas que maravilha, alegria...

Sua forma de avião
É uma viagem de emoção
Da asa norte a asa sul
Terminando no eixão, alegria...

Viver brasília é sentir felicidade
Viver brasília mas que maravilha
Viver brasília é sentir felicidade
Viver brasília mas que maravilha, alegria...

Vivo a cantar nesta cidade
Que é o coração do meu brasil
Para alegrar a toda gente
Hospitaleira, alegre e juvenil, alegria...

Viver brasília é sentir felicidade
Viver brasília mas que maravilha
Viver brasília é sentir felicidade
Viver brasília mas que maravilha, alegria...

Suas cidades satélites
Onde o povão se instalou
É sua grande riqueza
Que nem JK imaginou, alegria...

Viver brasília é sentir felicidade
Viver brasília mas que maravilha
Viver brasília é sentir felicidade
Viver brasília mas que maravilha, alegria...

Eloquentemente, composição de Josilson Lobo expressa como os brasilienses vêem, sentem, vivem e admiram Brasília: Moderníssima, charmosíssima, belíssima, agradabilíssima. Brasília é assim mesmo, superlativa, monumental. Não há nada igual no mundo. Claro, Paris, Londres, Nova Iorque, San Francisco e Las Vegas têm seus encantos como algumas da cidades mais bonitas do mundo. Mas nenhuma tem as surpreendentes marcas e linhas arquitetônicas futuristas de Brasília. Claro, têm seus maravilhosos espaços e ambientes de centros cosmopolitanos mundiais. Mas nenhuma tem a imensidão do verde e a agradável ecologia que Brasília oferece aos seus habitantes e visitantes. Patrimônio Cultural da Humanidade, Capital mais moderna do mundo, símbolo do poder, Brasília é expressão monumental da fusão de monumentalidade urbanística com monumentalidade natural. Construída pelo presidente Juscelino Kubitschek e inaugurada em 21 de abil de 1960, Brasília é resultado das concepções originais de seus geniais criadores, urbanista Lúcio Costa e arquiteto Oscar Niemeyer. Em Brasília não é apenas o grande Eixo, representando o corpo de um avião, que é Monumental. Nem somente os grandes e espaçosos conjuntos habitacionais das Asas Norte e Sul.
Em Brasília, tudo é monumental. Esplanda dos Ministérios, Congresso Nacional, Palácio do Planalto, Praça dos Três Poderes, Palácio da Alvorada, Palácio do Jaburu, Palácio do Itamaraty, Sede do Supremo, Catedral Metropolitana, Torre de TV, Teatro Nacional, tudo é monumental. Monumental em grandeza, beleza, criatividade e originalidade. Quem visita a imensa Esplanada vazia e iluminada à noite tem a sensação de estar numa estação espacial onde a qualquer momento pode descer uma nave extraterrestre. De um lado da Esplanada, símbolizando mãos abertas em gratidão aos Céus, a Catedral é incomparável. Do outro, o Teatro Nacional lembra uma pirâmide egípcia. Com 243 metros de altura, a Torre de TV, uma das mais altas do mundo, é um ponto de referência da capital. E no centro da cidade, os mais belos e modernos e majestosos edifícios formando bonito skyline. São ricas expressões da monumentalidade urbanística e arquitetônica de Brasília. Circundando a cidade sua maior manumentalidade natural: O Lago Paranoá, criado artificialmente, para gerar energia, abastecimento dágua, qualidade no clima do Cerrado e atividades esportivas. Garante embelezamento paisagístico, lazer múltiplo e escala bucólica à cidade.Os setores habitacionais ás suas margens, Lago Sul e Lago Norte, oferecem aos seus habitantes condições invejáveis de qualidade de vida desde o elevado padrão de uma cidade moderna e cosmopolita ao melhor ambiente de um sítio ecológico bem urbanizado. Cheios de árvores, cheios de flores, cheios de frutas e cheios de aves e pássaros de todas as espécies. Principalmente garças-brancas, marrecos, biguás, guacurus, queros-queros, sabiás, rolinhas e corujas.. Enchem os olhos a imensidão do verde soberano de Brasília: mais de 50 milhões de metros quadrados de gramados, mais de 4 milhões de árvores plantadas e mais de 1000 jardins ornamentais, sempre floridos, embelezando tudo. O Parque da Cidade, ecológico e recreativo, um dos maiores do mundo, é o pulmão no centro da capital, fantasticamente arborizada. Por toda a cidade, encontram-se jacarandás, jerivás, ingás, jequitibás, jatobás, copaíbas, palmeiras, muitas mangueiras e ipês agradavelmente vistosos quando floridos nas diversas cores. Além de toda essa monumentalidade urbanística e natural, Brasília também é monumentalidade da diversidade cultural brasileira reunindo uma miscelânia de hábitos, costumes, culturas e tradições de brasileiros de todas as regiões. Como eu, vindo do Nordeste, em 1979, direto do Recife para a Esplanada dos Ministérios, onde tive meu primeiro trabalho na capital como Assessor de Comunicação Social do Ministério da Educação e Cultura. Depois, Secretário de Redação da Empresa Brasileira de Notícias, incorporada à Radiobrás, Editor-Chefe do Correio Braziliense e diretor-fundador do Fatorama, primeiro jornal fast-news do Brasil, único jornal de opinião da capital da República. Em Brasília tenho vivido a enriquecedora experiência de morar na cidade mais moderna do mundo e, ao mesmo tempo, desfrutar de uma vida rururbanizada como morador do aprazível e incrível Lago Norte, uma das áreas nobres da capital. É Brasília mágica, encantadora, apaixonante, contagiante, irresistível, inesquecível. Cidade predileta do meu coração.
Foto: Centro de Brasília com Torre de Televisão iluminada
Vista noturna de Brasília com sua Torre de Televisão
Foto: Congresso Nacional, cartão postal de Brasília
Congresso Nacional, símbolo do poder e do modernismo de Brasília


MENU
M Mestres em Humanismo